6 tipos de alface que você não deve deixar de experimentar

Você é fã da alface, mas se você está cansado de comer sempre a mesma variedade? Se é assim, descobre todos os tipos de planta que se pode encontrar actualmente no mercado e verdulerías, todas as alfaces são uma fonte de saúde e bem-estar indispensável em qualquer dieta.

Qual é a sua alface ideal?

Se for a prateleiras do supermercado ou ao sacolão, é mais do que certo que você encontrar vários tipos de alface, bem em peças inteiras ou fatiadas e armazenadas em sacos pronta para consumir.

1. Romana

A alface mais comum é a romana, uma alface com um caule vigoroso, e uma cabeça longa e íngreme. Suas folhas são compactas e algo enrugadas, assim como de cor verde claro, mas intenso. Esta variedade de alface é ideal para a preparação de certos tipos de salada, como a de César, assim como para aumentar o como ingrediente para uma ensaladilla ou para combinar em saladas de fruta. Também podemos encontrá-la em tamanho mini, sob a nomenclatura de repolho de Tudela.

alface-romana

2. Iceberg

A alface iceberg é, de todos os tipos de alface, que tem um valor nutricional mais baixo, mas como aspecto positivo, costuma ser o mais barato do supermercado. Tem uma cor clara, puxando-a pálida e é muito crocante.

3. Trocadero

Por sua parte, a savia é outra das variedades mais comuns de alface que podemos encontrar quando fazemos a compra. Tem as folhas mais suaves do que as variedades anteriores, e ao saboreá-la, é muito mais mantecosa. Além disso, é um alimento digestivo, já que sua folha é muito tenra.

4. Folha de carvalho

A alface folha de carvalho é aquela em cuja tonalidade não predomina o verde, mas sim o roxo escuro, puxando para o marrom. Além disso, esta alface concretamente aplicável a chicória e a alface sativas como quase todas as outras variedades. Sua folha é muito mais saborosa e doce que as outras variedades. É ideal para combinar com queijos, frutas, ou para tomá-la única, recheada com uma boa vinagrete.

alface-folha-de-carvalho

5. Batavia

A alface batavia é de aparência semelhante à folha de carvalho, mas sua cor é verde intenso e não tem tonalidades roxas. Sua aparência é acogollado, e a folha é ondulada puxando a encaracolado, e ao paladar, é uma alface pouco crocante, mas de sabor requintado.

6. Lollo

Finalmente, outra das variedades mais populares de alface é a lollo, que podemos encontrar em tom vermelho ou em tom verde. Este tipo de alface tem umas folhas muito encaracolado, e de sabor muito amargo. Por isso, é ideal combiná-la com outra variedade quando preparamos uma salada ou algum outro prato que precise deste vegetal.

alface-lollo

Como nos ajuda o consumo de alguma variedade de alface?

Além de ser uma verdura muito baixa em calorias, a alface se destaca sobre os demais vegetais por seu alto conteúdo em água. Trata-Se de um alimento muito apetitoso nas épocas de mais calor , porque nos ajuda a manter o nosso corpo hidratado e seguro contra as altas temperaturas.

No entanto, a alface também pode se tornar um aliado essencial na época de inverno, pois são muitos os pratos e saladas que podemos cozinhar com este delicadeza da horta.

Salada feita com vegetais de folha verde

Alena Haurylik || Shutterstock

Outra das propriedades que se lhe atribui a alface é o seu alto conteúdo em fitonutrientes, alguns elementos que costumam agir na prevenção de doenças, e que nos ajudam a nos manter saudáveis contra vírus e bactérias.

Além disso, se você é alguém que está preocupado com o envelhecimento de seu corpo em excesso, começa a contar com a alface como aliada em sua alimentação, já que possui grande quantidade de antioxidantes, especialmente a vitamina c, folatos e oligoelementos.

Quais são os tipos de aminoácidos?

Os aminoácidos desempenham um papel fundamental no nosso organismo. São a base de qualquer processo vital, sem eles o nosso metabolismo simplesmente deixaria de funcionar (de fato, muitos problemas como a diabetes, a obesidade ou a insônia são falhas metabólicos provocados pela falta de aminoácidos), e temos até 20 aminoácidos diferentes, que podemos dividir em dois grandes tipos: essenciais e não essenciais, embora há quem adicione os semi-essenciais.

Antes de entrar a fundo em uns e outros, há que se destacar que todos são igualmente importantes para que o nosso metabolismo funcione corretamente. O fato de distinguirem entre essenciais e não essenciais não significa que estes sejam algo secundário, mas que a diferença provém de sua origem. Os aminoácidos não essenciais os produz o corpo, e os essenciais são consumidos através das proteínas de origem animal ou vegetal, por isso que a dieta que você vai desempenhar um papel muito importante na hora de conseguir aminoácidos.

Os aminoácidos essenciais

Como dissemos antes, são os aminoácidos que o nosso corpo não pode sintetizar de forma natural , assim, que há que recorrer a alimentos ricos em proteínas que os contêm. Uma vez ingerida desses alimentos, o organismo decompõe os para obter esses aminoácidos essenciais e formas novas proteínas. Há 9 aminoácidos essenciais: leucina, isoleucina, valina, triptofano, fenilalanina, metionina, treonina, lisina e histidina. A proteína de origem animal contém os nove aminoácidos essenciais, mas de origem vegetal, costuma faltar algum.

Syda Productions || Shutterstock

Syda Productions || Shutterstock

Cada um desses aminoácidos tem sua própria função:

  • A leucina e a isoleucina ajudam a formar e reparar o tecido muscular
  • A isoleucina também mantém a glicose no sangue
  • A valina reduz o apetite ou bulimia
  • O tripófano é um antidepressivo e um gerador de serotonina
  • A fenilalanina também mantém as endorfinas
  • A metionina previne o colesterol ou a perda de cabelo e desintoxica junto à treonina
  • A lisina estimula a hormona de crescimento ou impede o herpes
  • A histidina, entre outras coisas, é bom contra a artrite.

Os aminoácidos não essenciais

E se os essenciais são provenientes dos alimentos não essenciais os sintetiza o corpo a partir de outras substâncias. Isso sim, sempre que o organismo não os encontre nas quantidades necessárias podem ser sintetizados a partir de aminoácidos essenciais, ou directamente a partir do próprio organismo. Há 11 aminoácidos não essenciais, mas há que fazer nuances. Os quatro aminoácidos puramente não essenciais são o ácido glutâmico, alanina, arginina e a glutamina.

taurina

Dentro dos aminoácidos não-essenciais, encontramos 7 aminoácidos condicionalmente essenciais, dito de outra forma só seriam essenciais em alguns estados clínicos:

  • A taurina e cisteína normalmente são essenciais para os bebês prematuros, assim como a tirosina
  • A arginina, que muitas vezes inclui-se entre os semi-essenciais – pode ajudar em casos de desnutrição ou para a recuperação de lesões ou operações
  • A prolina, serina ou a glicina também são essenciais em determinadas ocasiões.

O curioso caso da carnitina

Um caso especial é o da carnitina, que muitas vezes se inclui entre os aminoácidos, apesar de não ser puramente um deles. É uma substância que se produz em nosso corpo a partir de outros aminoácidos, e que entre outras coisas nos ajuda a reduzir os níveis de colesterol, a prevenir ou melhorar as arritmias cardíacas e, às vezes, também ajuda no sagrado de gengivas ou nas piorreas.

Sergei Domashenko || Shutterstock

Sergei Domashenko || Shutterstock

Se você seguir uma dieta saudável e equilibrada é difícil que sofras a falta de qualquer um desses aminoácidos. No entanto, há ocasiões em que precisamos de um extra de aminoácidos (doenças, na hora de realizar o exercício de força, culturistas, etc.) que também podemos conseguir graças a produtos de suplementação.

O que há de verdade sobre os alimentos light?

Fazer dieta de forma saudávelBaixar ebook

Desde a televisão, o cinema, as revistas, até mesmo na própria rua, com barreiras gigantescas e anúncios, que é impossível negar, estamos recebendo constantemente a mensagem de que devemos ser perfeitos, cuidar do nosso corpo para olhar delgados e super em todo momento, mesmo que isso implique sacrifícios, como deixar de comer isso que tanto gostamos. Faz tempo que a indústria de alimentos quis abrir um novo campo para permitir a qualquer pessoa a comer o que quisesse sem os remorsos de estar ganhando muitas calorias. Eram os alimentos light, produtos, supostamente, muito mais saudáveis do que os alimentos normais.

Entende-Se por light a versão de um alimento ou bebida que contém um baixo aporte de calorias, açúcares ou gorduras. Quando se fala de 0%, na realidade se refere a um aporte muito baixo, inferior a 5 g por porção, ou às 5 calorias. Uma contribuição insignificante que faz com que esses alimentos baixos em calorias sejam mais desejáveis para as pessoas preocupadas com o seu peso. Mas, você realmente funcionam? É o mesmo para o nosso organismo tomar uma bebida light que a versão “normal” desse refrigerante? Como Se consegue perder peso com uma dieta baseada em alimentos deste tipo?

Existem muitas lendas urbanas em torno dos alimentos baixos em calorias e gorduras, que vão de um extremo ao outro, do que são a panaceia para poder emagrecer até aqueles que afirmam que eles podem ser ainda mais prejudiciais do que as versões completas dos produtos. E como costuma acontecer, a realidade está em um ponto intermediário. Ou seja, os alimentos light funcionam muito bem em determinadas condições, para aqueles que procuram reduzir de alguma forma a sua ingestão de calorias diárias, desde que tenhamos em conta que a quantidade é quase mais importante do que as calorias por porção.

Nuttadol Kanperm || Shutterstock

Nuttadol Kanperm || Shutterstock

E é que existem versões light de alimentos no mercado que apenas baixam 30, ou 40% das calorias do produto original. Isso significa que se nós comemos duas porções desse produto light já estaremos ingerindo mais calorias do que com uma única porção do produto original. Este tipo de coisas há que tê-las em conta, assim como a necessidade que tem o nosso organismo a ingestão de gorduras e açúcares, especialmente naturais, que são necessários para o correto funcionamento de nosso corpo. Tentar evitá-las e desterrarlas de nossa dieta à base de comer só alimentos light não costuma ser uma boa solução, já que pode provocarnos graves distúrbios digestivos.

Para reduzir as calorias, açúcares ou gorduras de um alimento, e convertê-lo em light, a maioria das empresas utilizam sucedâneos ou substitutos, como adoçantes e gorduras artificiais, que também levam seus riscos, além do que, efetivamente, conseguem diminuir o aporte calórico do alimento. De fato, um dos melhores conselhos sobre este tema é tentar fazer os nossos próprios alimentos light em casa, cuidando da quantidade de açúcar ou óleo que colocamos em nossos pratos, para assim controlar melhor as calorias. E tudo de forma natural.

Minerva Studio || Shutterstock

Minerva Studio || Shutterstock

Em suma, os alimentos light podem funcionar como uma ajuda para aquelas pessoas que procuram perder peso, reduzindo o seu consumo diário de calorias. Devemos, sim, olhar bem no rótulo de cada produto, fugindo de tudo dos conservantes mais nocivos ou de substitutos que possam ser perigosos. Buscaremos a versão light dos alimentos que nós gostamos muito e não queremos remover de nossa dieta, mas que não são nada saudáveis. No entanto, a melhor recomendação, sobretudo com os refrigerantes açucarados, é trocá-los por água ou sumos naturais, evitando-se por completo até mesmo as versões light e zero desses produtos.

Fazer dieta de forma saudávelConhece a melhor maneira de perder peso sem colocar em risco a sua saúde. Com este livro você aprenderá a avaliar e identificar qual é o seu peso corporal ideal e ajudá-la a definir um plano de ação para obtê-lo através de hábitos alimentares saudáveis que ajudarão você a manter seu peso ideal ao longo do tempo. Inclui um menu semanal detalhado e saborosas receitas que você pode fazer facilmente em casa.Saber mais

O que você sabe sobre a dieta do guerreiro?

Uma alimentação correta é fundamental para conseguir manter saudável o seu organismo. Existem uma infinidade de dietas que envolvem diferentes benefícios e objectivos para o seu organismo. Apesar disso as dietas que mais têm sucesso são as relacionadas com a perda de peso.

Na hora de perder peso ou evitar doenças relacionadas com a obesidade, além de uma dieta específica, você de tentar evitar certos alimentos ou reduzir a quantidade de seu consumo.

Se o seu objetivo é perda de peso de forma saudável e segura, sem ter que recorrer às dietas convencionais, pode optar por dieta do guerreiro. Uma alimentação baseada nos tempos da Antiga Grécia e o Império Romano.

O que você sabe sobre a dieta do guerreiro?

A dieta do guerreiro é um tipo de alimentação desenvolvido por Ori Hofmekler que tem como objetivo conseguir um corpo atlético e definido; o mais parecido a um guerreiro clássico. Para isso, sua alimentação consiste em uma única refeição forte ao dia: ao anoitecer.

Para realizar a dieta do guerreiro que dividir a sua alimentação em duas partes: ainfraalimentación e superalimentação. Esta última faz referência a um período de 4 horas ao dia em que se pode comer; enquanto que a infraalimentación representa as 20 restantes.

Na hora de introduzir o sistema de alimentação no seu dia-a-dia hás de ter em conta uma série de padrões da dieta do guerreiro:

  • Reduz o consumo de alimentos durante o dia. Isso faz referência à fase de infraalimentación. Depois de ter comido forte, têm de passar 20 horas, para que volte a repetir a refeição. Portanto, se você está com fome ou sente a necessidade de consumir qualquer tipo de alimento só pode recorrer a lanches como frutas secas ou de frutas e legumes. Pode também incluir sucos, água, chás ou café nesta fase.
  • Come grandes quantidades pelas noites. Não importa o que consumas nas 4 horas que dura a superalimentação. É aconselhável começar por gorduras e proteínas, e se você tem mais fome seguir com os hidratos de carbono. Mas o consumo de alimentos é indiferente, desde que seja durante esse período de tempo.
  • Para comer no momento que você tenha mais sede que fome. Se, durante a admissão da sensação de sede é maior que a fome, deverá parar e beber. Se após 20 minutos de ter bebido ainda com fome, você pode seguir alimentándote.

Ao mesmo tempo em que respeita a estes hábitos alimentares, você deve combinar exercícios aeróbicos e anaeróbicos, pelo menos, 3 vezes por semana para obter todos os benefícios da dieta do guerreiro.

Como se adaptar a dieta do guerreiro

Começar a dieta do guerreiro, de um dia para o outro é uma tarefa complicada. E é que este tipo de alimentação tão extremo deve passar por um processo de aclimatação, sobretudo para a fase de infraalimentación.

A fase de adaptação à dieta do guerreiro pode oscilar entre 1 e 3 semanas. Para isso, você terá em conta o período de infraalimentación. E é que, partindo de uma menor quantidade de horas, irás aumentándolas até chegar às 20 diárias.

Outra maneira de se acostumar a esta alimentação é fazer a dieta por dias. Ou seja, começar com um par de dias da semana até a semana inteira. A técnica varia em função do que lhe for mais conveniente e prático.

O tinhas ouvido falar da dieta do guerreiro? Siga suas diretrizes e añádela como forma de alimentação e descubra as vantagens que representa para o seu organismo.

O que ingredientes leva o café da manhã perfeito?

Tem que ser completo e nutritivo. Você precisa começar o dia com energia para enfrentar a jornada de trabalho e os treinos. Você quer que ela seja fácil de preparar e não se remova muito tempo pela manhã. Existe o pequeno-almoço perfeito? Felizmente, a resposta é sim.

De certeza que mais de uma vez você já se perguntou: oQue devo comer para tomar o pequeno-almoço? Dizem que o café da manhã é a refeição mais importante do dia, e se você é uma pessoa que faz exercício regularmente, tem certeza de que deseja perder peso, aumentar músculo e ter muita energia.

Pois aqui apresentamos-lhe o pequeno-almoço saudável, perfeito para quem segue um estilo de vida saudável e uma dieta para atletas. Delicioso, saudável, saciante, nutritivo e carregado de proteínas.

Ingredientes do café da manhã perfeito

Nada de ovos ou salsichas, ou flocos de aveia, iogurte ou fruta. O surpreso? Pois continue lendo! Estes são os ingredientes do café da manhã perfeito:

  • O Café. Ninguém pode negar que o café desperta, e que um pouco de cafeína pela manhã, nunca vem mal. Mas, além disso, o café é muito nutritivo, ajuda a regular a insulina e é antioxidante.
  • Banana. Carregado de vitaminas e minerais, a banana é uma fruta ideal para incluir no café da manhã, especialmente em dietas para atletas. Têm glicose e frutose, dois compostos muito benéficos para pessoas que treinam diariamente.
  • Cacau. Um estudo mostra que o cacau tem mais fenólico e propriedades antioxidantes que o chá verde, o chá preto ou o vinho tinto. Este composto químico ajuda a prevenir doenças cardiovasculares e relacionadas com o metabolismo.
  • Proteína de soro de leite. O soro é uma das melhores proteínas, porque é muito boa. O organismo pode absorvê-lo e usá-lo facilmente. Além disso, é necessária para manter os músculos fortes. E também regula o apetite, o nível de açúcar no sangue e melhora o funcionamento do sistema imunológico.
  • Nozes. As nozes são os frutos secos, com maior quantidade de ômega 3 e propriedades antioxidantes. São boas para combater a inflamação e também para o cérebro.

Pequeno-almoço para atletas

Como preparar o café da manhã perfeito

Para preparar este batido para atletas com café gelado, sorvete de banana, cacau puro, nozes e proteína em pó de chocolate, são necessárias as seguintes quantidades:

  • Um pouco de café
  • 1 banana sorvete.
  • 1/2 copo de gelo.
  • 3 colheres de sopa de cacau puro.
  • 2 colheres de sopa de proteína em pó de chocolate.
  • 1 punhado de nozes.

Uma vez que você tenha os ingredientes, misturá-los bem, e pronto para tomar. Este shake ou smoothie de café, cacau, banana e nozes traz 615 calorias, 56 gramas de proteínas, 46 de carboidratos e 23 de gorduras.

Bebidas energéticas para atletas

O que carnes são mais saudáveis?

A carne, em geral, é um alimento completo incluído no que é considerada uma dieta equilibrada. Somos “carnívoros” (salvo opções pessoais) porque o ser humano está em a carne é uma das principais fontes de que para obter as proteínas, gorduras e micronutrientes que o organismo necessita para desenvolver-se e manter-se em bom estado.

Tradicionalmente, as carnes são divididos em dois grupos: as carnes vermelhas, provenientes de animais como a vaca, o boi, o porco (algumas peças) e de caça (veado, javali, pombo…) e as brancas: frango, peru e coelho.

Ambos os grupos têm em comum, o seu elevado conteúdo em proteínas de alta qualidade (que fornecem aminoácidos essenciais) e diferenciam-se, principalmente, a maior presença de mioglobina e ferro, vermelhas, assim como o seu nível de lipídios, ou seja, a quantidade de gorduras que trazem, também superior nas vermelhas.

As “carnes boas” e as “carnes más”

A ideia generalizada de que as brancas são as “boas” e as vermelhas, as “más” é um tópico que não responde à realidade. O conteúdo, e não apenas de cada tipo de carne, mas de cada peça, é diferente e traz substâncias específicas que podem ser benéficas, ou nem tanto, de acordo com as características e necessidades de cada pessoa. Dependendo da idade, a altura, a atividade física desempenhada, ou das doenças que podem afetar a cada indivíduo, umas carnes são mais recomendáveis e, portanto, mais saudável que outras. Por exemplo:

  • Uma pessoa adulta, saudável e que desenvolva uma atividade física média – alta, pode alternar perfeitamente na sua alimentação o consumo de carnes brancas e vermelhas, optando preferencialmente por peças de carne magras, aquelas que fornecem todas as proteínas e um mínimo de gorduras.
  • Em dietas de emagrecimento, cujo objetivo é combater problemas de excesso de peso ou obesidade, a presença de carne vermelha deve ser uma exceção, dada a sua maior aporte calórico e o alto nível de lipídios.
  • Em contrapartida, o consumo de carne vermelha (sempre moderado) está indicado nos casos de déficits nutricionais (anemia por falta de ferro). Crianças em idade de crescimento, idosos, mulheres grávidas ou lactantes são alguns dos grupos em cuja alimentação deve estar incluída.
  • Quando existem doenças cardiovasculares e altos índices de colesterol (ruim) no sangue, as carnes brancas são as mais saudáveis. As gorduras saturadas que dão as vermelhas podem ser muito prejudiciais.
  • A composição quanto a vitaminas e minerais também é importante na hora de considerar uma carne mais ou menos saudável. Ferro, potássio, fósforo, zinco… de acordo com as nossas necessidades nutricionais da carne, é mais recomendável que a outra. Há que prestar especial atenção ao conteúdo em sódio se por problemas de hipertensão é recomendada uma dieta hiposódica (baixa em sal). Algumas peças do “aclamadas” porco podem ser recomendados, pois contribuem com menos quantidade de sódio que o frango ou o peru. Nestes casos, as carnes processadas, como os enchidos… fora!
  • Diante da presença elevada de ácido úrico (gota), as carnes vermelhas não são saudáveis e devem ser suprimidas.

como escolher a melhor carne

Savchenko || Shutterstock

Como escolher as carnes mais saudáveis

Tendo em conta as propriedades e composição dos diferentes tipos de carne, os nutricionistas concordam que o consumo de branco deve prevalecer frente ao das vermelhas. Filetes, chuletones e entrecots têm de ser sempre uma exceção, e não a base de uma alimentação que pretenda ser saudável.

Além disso, opte sempre por cortes magros, ou seja, aqueles que têm menos gordura, por exemplo:

  • Carne: lombo e filé.
  • Carne de porco: lombo (pode retirar facilmente a gordura que cobre a peça).
  • Frango e peru: carne de peito e coxa, melhor sem pele.
  • Cordeiro: pá de lechal.
  • Coelho: qualquer peça, dado seu baixo teor de gordura.

its_al_dente || Shutterstock

its_al_dente || Shutterstock

Em relação aos enchidos e preparados à base de carne, o seu consumo deve ser esporádico. Muitos desses produtos contêm grandes quantidades de gorduras saturadas (até mesmo de gordura trans), sal adicionado e outros aditivos que nunca convém abusar.

Para aproveitar ao máximo todos os benefícios que se oferecem proteínas, vitaminas e minerais de a carne, adquire sempre carne de qualidade, que conte com todas as garantias sanitárias.

6 surpreendentes erros que comete com alguns alimentos

Vitaminas, minerais, proteínas, hidratos de carbono, gorduras… Os alimentos contêm muitos nutrientes benéficospara o nosso organismo, mas você está cometendo seis surpreendentes erros quando os conservas em casa, seis erros que fazem com que percam parte de suas propriedades e o seu sabor.

Devo guardar os tomates na geladeira? Posso deixar a fruta cortada em pedaços ou é melhor a peça inteira? Posso deixar as latas de comida abertas? Continue a ler para descobrir alguns truques que ajudarão você a tirar o máximo partido dos ingredientes de sua dieta habitual.

1. Guardar os tomates na geladeira

Trata-Se de um erro muito comum. Todo mundo guarda os tomates na gaveta de legumes da geladeira, mas deves saber que depois de passar pelo frio da geladeira, a textura do tomate passa de suculento e macio para farinhenta e áspera. Além disso, a refrigeração mascara o sabor das frutas e legumes, por isso o ideal é manter os tomates em um lugar fresco, à temperatura ambiente.

2. Deixar que os abacates amadureçam em excesso

O abacate é uma frutatropical perfeita para saladas e smoothies, com uma textura densa e cremosa. No supermercado costumam encontrar rígidos, o que quer dizer que não estão maduros. Se eles são um pouco mais blanditos quando os apertam um pouco, é o momento de colocá-los na geladeira para que não continuem a crescer e pode conservá-los por mais tempo.

3. Salvar frutos secos na despensa

Você faz isso verdade? Os pistaches, nozes, amêndoas ou qualquer outro fruto seco, com certeza você guarda na despensa da casa ou em algum armário da cozinha. Erro! É melhor que os preserves no frigorífico, para prolongar a vida desses frutos ricos em óleos bons para o coração, porque na despensa podem pegar um travo amargo com mais facilidade. E lembre-se de que têm muitos benefícios e propriedades, o que deverá incluí-los em sua dieta.

4. Conservar alimentos conservas aberta

Compra uma lata de milho doce para saladas e não a você acabar de gastar. O que você faz? Levá-la aberta na geladeira. Não é aconselhável que faça isso, porque deixar a comida conservas aberta na geladeira, pode-se supor que os compostos químicos do revestimento da lata passem ao alimento que contém em seu interior, e a certeza de que você não tem vontade de intoxicarte, assim que é melhor do que tomar um recipiente de plástico ou de vidro e vuelques o conteúdo da lata e tapes. Deste modo, você não terá que se preocupar.

5. Comer batatas apenas quando estão quentes

Você pode pensar que não é nenhum erro comer batatas quando estão quentes, e você está certo, mas agora sabe que é mais benéfico comer batatas frias, em ensaldas, por exemplo. Por quê? Um estudo descobre que após esfriar legumes com alto teor de açúcar no sangue, reduz a quantidade presente em tais vegetais, o que ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue.

6. Cortar os morangos muito tempo antes de comê-las

É muito típico preparar a sobremesa quando você está preparando a comida para deixá-lo pronto. De certeza que mais de uma vez você preparou morango com banana ou macedónia com morangos que tenha cortado em pedaços da fruta e a deixou na cozinha, até que você acaba de comer. Os morangos têm propriedades antioxidantes por seu alto conteúdo em vitamina C, que se perde com mais facilidade quando expostos à luz e ao oxigênio. Já sabe, não as cortes até que não vá para comértelas e o seu organismo irá se beneficiar de todos os nutrientes desta fruta tão rica.

O que são as proteínas hidrolisadas?

As pessoas que praticam esportes com frequência, levam um exaustivo controlo dos diferentes alimentos e nutrientes que tomam, como as proteínas. Neste grupo destacam-se, por um lado, as proteínas concentradas, já que é o modo mais simples e econômico de se introduzir uma grande quantidade de proteínas no corpo; por outro lado, o isolado de proteína, que filtra a proteína do leite para liberá-la do resto de substâncias, e, por último, a proteína hidrolisada, que é a mais utilizada pelos atletas.

Precisamente, as principais fontes de proteína hidrolisada são os animais e os vegetais, aqueles que a oferecem já enzimaticamente quebrada em grandes peptídeos, para que seja mais rápida a sua absorção. Por isso, é o complemento perfeito para alcançar uma maior recuperação após o treino.

Mas, à parte de ser um aliado para os atletas, também o é para os diabéticos, já que esta proteína ajuda a reduzir as flutuações de glicose no sangue.

Quais são os benefícios de consumir proteínas hidrolisadas?

As proteínas oferecem vários benefícios para o nosso organismo , já que ao incluir este custo adicional, estimula o sistema imunológico de modo que ajuda a desintoxicar o corpo, servindo como proteção do sistema. Mas a isso se somam vários benefícios como, por exemplo:

  • Têm propriedades antioxidantes
  • Regulam o metabolismo e são uma ajuda para o sistema digestivo
  • Podem ser consumidas por pessoas de qualquer idade que necessitem deste nutriente
  • Aumentam a rapidez na recuperação de ossos e músculos.

mulher-com-top-esportivo-e-mão-no-pescoço-por-dor

Para que se utilizam as proteínas hidrolisadas?

O uso mais difundido de todo este tipo de proteína como suplemento alimentar para atletas, já que ajuda a regenerar os músculos e os ossos de modo que tenham uma mais fácil recuperação após os treinos, ainda que em ocasiões são um custo adicional de uma refeição diária.

Não obstante, que este seja o uso mais conhecido das proteínas não significa que seja o único nem o mais importante. As proteínas isoladas estão totalmente livres de elementos como a lactose, pelo que previnem alergias à lactose e são um substituto perfeito para pessoas com intolerância, incluindo os lactentes com este problema.

chico-jovem-corrida-campo

Quais outros tipos de proteínas de soro de leite existem?

Existem outros dois tipos de proteínas extraídas do soro do leite: as isoladas e concentradas. A proteína isolada (isolada) é aquela que é formada por mais de 90% de proteína pura. É o resultado da filtragem da proteína do leite, deixando-a livre de lactose, gorduras, colesterol e carboidratos. Essa proteína possui todos os aminoácidos que são necessários para uma dieta diária. Além disso, representa uma grande fonte de proteínas para aquelas pessoas que precisam, tais como grávidas, idosos ou pessoas com problemas no sistema digestivo.

manobra proibida para chegar-com-frutas-secas-frutas-e-muesli

Por outro lado, as proteínas concentradas, são utilizadas para introduzir uma maior quantidade de proteínas na dieta. Esta proteína contém uma maior quantidade de calorias e hidratos de carbono (em sua maioria lactose, substância que é liberada a proteína isolada). Também é recomendável consumi-la após o treino ou durante o pequeno-almoço, como primeira refeição do dia, já que é um substituto de fazer isso, sendo recomendável, isso sim, para pessoas que não tenham problemas de peso ou busquem aumentar o peso ou o volume.

Em suma, podemos entender que as variações das proteínas têm seus benefícios e suas características definidas, entre as quais podemos destacar a pureza dos componentes de forma concentrada, a capacidade de a isolada para atender os mais exigentes e intolerantes à lactose, assim como a redução do tempo de espera para ver os efeitos das proteínas hidrolisadas, que também ajudam a que os treinos sejam muito mais eficientes e que não tenham problemas de recuperação após eles.

Syda Productions | Shutterstock

Wayne0216 | Shutterstock

Deixam Stanic Micko | Shutterstock

Alena Haurylik | Shutterstock

O que leva realmente uma lata de refrigerante?

Há muitos sons característicos na nossa vida e que todos somos capazes de reconhecer. O que vos parece o som ao abrir uma lata de refrigerante?

Muitas pessoas declaram viciadas em bebida. Por um lado, é uma das mais problemáticas e nada saudável, mas também a nível técnico é brilhante, é uma verdadeira obra-prima de engenharia química. As duas grandes empresas de refrigerantes do mundo, coca-cola e Pepsi, foram capazes de criar quase a bebida perfeita de que os nossos paladares parecem não se cansar nunca. Mas já dissemos antes, é quase perfeita.

Por que, oque é exatamente o que estamos bebendo? O que é que faz com que engordemos ao tomar um refrigerante? Em seguida desgranamos ponto por ponto o que realmente leva uma lata de coca-cola.

coca-cola-light

Menos de 1% de cafeína

Você é daqueles que acha que quando você toma um refrigerante, você está pegando um chute de cafeína? Infelizmente não é assim. Uma lata de coca-cola só tem 29 mg de cafeína, quando, por exemplo, um café pode ter entre 50 ou 60 mg por xícara. A razão pela qual você se sentir mais desperto depois de tomar uma coca-cola é porque a cafeína é acompanhada de açúcar. Uma súbita injeção de glicose no organismo, combinada com a cafeína fazem com que você se sinta mais alerta.

Se tomas refrigerantes para se sentir mais desperto e você está procurando uma alternativa mais saudável, mude para um chá. Seu corpo irá agradecer-lhe.

Refrigerantes

Menos de 1% de sabores naturais

Estamos falando, por exemplo, baunilha, canela, noz-moscada, limão… Em uma lata de refrigerante, você pode encontrar alguns dos ingredientes que temos, ou nenhum. Alguma vez você já ouviu falar que a fórmula destes refrigerantes é secreta? Este é o principal motivo pelo qual não se pode controlar com rigor e acima de tudo, não se pode saber quão natural é.

Menos de 1% de corante de caramelo

Este aditivo não seria perigoso, se feito de maneira tradicional: com água e açúcar em cima de um forno. Mas a indústria alimentar segue uma receita de algo diferente: controlam o açúcar com a amônia, um produto que, em certas quantidades, pode ser cancerígeno.

quantidade de açúcar dos refrigerantes

1% de ácidos cítricos e fosfóricos

Adicionados para dar à bebida um sabor mais amargo e neutralizar o sabor doce, o que lhe dá o açúcar, os ácidos cítricos, normalmente, provêm de deliciosas frutas como os limões ou limas. Mas, isto não é sempre assim. Em muitas cocacolas, muito provavelmente, um derivado do milho.

Por sua parte, o ácido fosfórico impede que a bebida se deteriorar e dá-lhe um sabor mais forte ou intenso, mas, também é possível que cause danos no seu aparelho, especialmente se tomadas refrigerantes diariamente.

8.9% de xarope de milho com altos níveis de açúcar

Um dos principais causadores da obesidade, o problema não é o açúcar em si, mas o processo pelo qual se obtém. Um processo em que se perde quase todas as propriedades de um aditivo que de outra forma não seria tão prejudicial. É verdade que nos últimos anos as grandes empresas têm lançado produtos light ou sem açúcar para o mercado, mas não se deixe enganar, o açúcar é açúcar.

89% de água com gás

O único ingrediente que se pode tomar sem se sentir culpado! Mas…o que pretende fazer um refrigerante caseiro? Então use água com gás com um pouco de mel e um toque de hortelã. Pronto, você terá um refrigerante 100% caseiro, natural e acima de tudo, saudável.

Você sabe qual é o melhor óleo para fritar?

São muitos os lares espanhóis que optam por consumir alguns alimentos fritos de forma habitual, como é o caso das carnes e peixes rebozados, os bolos, ou as batatas fritas que servem de encaixe para muitos pratos. Se bem que, esta não é a maneira mais saudável de comer, sim, que é verdade do que é ser deliciosa em algumas receitas de cozinha.

Na hora de fritar, devemos ter em conta qual é o melhor óleo, assim como qual é o óleo que mais benefícios positivos nos traz ao cozinhar com ele. Uma das chaves para conseguir uma cozinha saudável através da fritura de alimentos, é estar atento à temperatura a que nós aquecer o óleo, já que os óleos que se aquecem e emitem fumaça, são muito prejudiciais para a nossa saúde. Por

Há uma infinidade de óleos no mercado que são especialmente indicados para fritar. O mais comum e o mais empregado no Brasil é o óleo de girassol, mas também se pode usar o de milho ou de soja.

No entanto, estudos recentes levados a cabo na Universidade de Sfax (Tunísia) demonstraram que o óleo de oliva é o melhor óleo e o que melhor suporta as altas temperaturas, sem perder suas propriedades.

azeite para saladas

E é que o óleo de oliva resiste melhor o calor do que os outros óleos são fabricados a partir de sementes, pois sua riqueza em ácidos oleicos e em polifenóis, fazem com que este seja menos vulnerável ao processo de oxidação.

Enquanto o azeite de oliva é capaz de resistir até os 370 graus Fahrenheit (cerca de 150 graus centígrados), sem perder suas propriedades, o óleo de girassol, por exemplo, só aguenta até os 356 graus, e quando ultrapassa esta temperatura, se degrada, devido à grande quantidade de ácidos graxos poliinsaturados que contém.

Há também que ter em conta que o óleode oliva ou de girassol, não deve ser reutilizado muitas vezes. Neste caso, o de oliva é o que nos permite fritar os alimentos durante mais vezes sem alterá-lo. Isso sim, recomenda-se não usar nunca um mesmo óleo por mais de cinco vezes.

Se optamos por escolher um azeite de oliva extra-virgem para cozinhar os alimentos fritos, temos que ter em conta que esta variedade é a que melhor resiste a temperatura do fogo, chegando a suportar até os 180 graus centígrados, sem alterar suas propriedades.

Azeite de oliva extra-virgem

Além deste aspecto positivo, o óleo de oliva tem outra qualidade é que a altas temperaturas, a fritura é ser muito mais rápida e, portanto, o alimento que cozinhar perde menos nutrientes do que o que passa muito tempo na frigideira.

Além disso, o azeite tem o poder de realçar o sabor dos alimentos que cozinhar. Por este motivo, uma fritura cozida com azeite de oliva é muito mais saborosa do que uma em que se utilize óleo de girassol ou de sementes.

frango-frito

Finalmente, se queremos que a nossa fritura tenha menos calorias e muito mais saudável, recomenda-se deixar o alimento uma vez frito sobre uma peneira sobre um papel de cozinha super absorvente para retirar, de estar em forma, os restos de óleo em excesso do alimento.

Portanto, na hora de escolher um óleo para fritar devemos pensar em nossa saúde do que no nosso bolso, pois é muito mais recomendável optar por um azeite de oliva extra-virgem, que por um sementes de girassol ou de milho.