Emagrecer com a dieta da laranja

A laranja é uma fruta cítrica deliciosa que tem mais propriedades benéficas para perder peso do que você pensa, é uma fruta rica em antioxidantes, que trabalha em prol de fazer isso e que, além disso, desintoxica.dieta da laranja


Tomar o suco de laranja é um dos mais poderosos desintoxicantes naturais, contém carotenóides, que não só contribuem para a eliminação de toxinas do corpo, mas que também impede o desenvolvimento de radicais livres. Contém flavonóides que se encontram na casca e o suco de laranja, se encarregam de estimular o sistema imunológico, fornecendo proteção contra fungos e outros males e ajudam a reduzir os níveis de colesterol. Também é rica em vitamina C, fibra, potássio e ácido fólico, que protege contra ataques cardíacos e acidentes vasculares cerebrais. A vitamina C também ajuda na absorção do ferro, ideal para aqueles que sofrem de anemia por deficiência de ferro, estimula o sistema imunológico e, portanto, impede que o corpo adquira infecções virais.


Uma das maiores vantagens é que ele ajuda a prevenir as úlceras, beber meio litro de suco de laranja por dia pode reduzir o risco de cálculos renais. Além disso, os estudos demonstraram que o laranja protege contra a hipertensão e é rico em potássio e baixo em sódio.


Dieta da laranja


Uma dieta de 2 dias te ajudará a eliminar as toxinas que se acumularam em seu corpo e te ajudar a perder peso. É uma dieta ideal para a desintoxicação que lhe permitirá perder peso rapidamente. Trata-Se de uma dieta rigorosa, pelo que é necessário fazê-lo apenas durante 2 dias.


Dia 1


Pequeno-almoço



  • 1 copo de laranja para a desintoxicação

  • 1 fatia de pão integral

Lanche



  • Um chá verde ou laranja

Almoço



  • 1 copo de suco de laranja

  • Frango grelhado com legumes ao vapor ou vegetais de folha verde

Tarde



  • 1 copo de suco de laranja

Jantar



  • Laranja (se quiser)

  • 1 fatia de pão integral

Antes da hora de dormir



  • Misture 1 xícara de laranja para a desintoxicação

Dia 2


Pequeno-almoço



  • Misture 1 xícara de laranja para a desintoxicação

  • 1 porção de sobremesa de iogurte de laranja e canela

Almoço



  • 1 copo de suco de laranja

  • Peixe grelhado acompanhado de vegetais de folha verde ou legumes cozidos ou no vapor

Lanche



  • 1 copo de suco de laranja

Jantar



  • 1 fatia de pão integral com 1 colher de sopa de queijo creme ou queijo com baixo teor de gordura

  • 1 laranja

Antes da hora de dormir
1 copo de laranja para a desintoxicação


Regras de dieta


– Consumir diariamente 1,5 lt a 2LT de água


Não se permite



  • Refrigerantes

  • Álcool

  • Açúcar ou adoçante

  • Café

  • Sal

Após a dieta segue uma dieta equilibrada e saudável. Antes de iniciar a dieta deve consultar seu médico.


Receitas da dieta


– Sobremesa de iogurte com laranja e canela: Em uma tigela misture: 1 copo (200 g) De iogurte com baixo teor de gordura, 1 laranja em rodelas, um pouco de suco de limão 1/4 colher de chá de canela.


Conheça TherMatcha, um termogênico que vai te ajudar a emagrecer com saúde e muito rapidamente.

Emagrecimento sem sofrer com estas 10 dicas para criar hábitos saudáveis


Já sabemos que para emagrecer temos que fazer uma dieta e exercício. Também deve saber que também pode levar a hábitos saudáveis que ajudam, sem dúvida, continuar a perder quilos com facilidade.


A idéia não é fazer uma dieta que nos faça sofrer de fome, ou fazer uma sessão de exercícios para deixar-nos esgotados, sem fôlego e adoloridas. Assuma o controle de sua rotina saudável e comece a aplicar estas dicas para desenvolver hábitos saudáveis que irão ajudá-lo a perder peso sem esforço extra.


1 – Comer um bom pequeno-almoço


Se você não tome o pequeno almoço, à hora da próxima refeição certamente terá uma fome voraz e comer em excesso. Além disso, se não comer pela manhã, someterás o corpo a um período de jejum prolongado, o que faz com que o metabolismo ficar lento e começar a armazenar gordura, em vez de queimá-los fora.



2 – Mastiga bem


Além de que facilitarás a digestão das refeições, mastigar bem fazer você comer mais devagar, por isso, faremos com que o corpo chegue à saciedade mais rapidamente, sem risco de querer repetir porções.


3 – Tome um copo de água antes de comer


Este é um pequeno truque que vai fazer você se sentir mais cheio na hora de comer, evitando comer em excesso. Em especial se beber, água fria, porque fará com que seu estômago se contrair mais para que não se satures de alimentos.


Também pode estar a confundir fome com sede, então quando sentir que quer comer, bebe água e espera um pouco; em seguida, pergunte a si mesmo se ainda tiver fome.


4 – Come sem distrações


As distrações, como televisão, o celular, e todo o tipo de ecrãs faz com que nos dispersemos a hora de comer e, portanto, não estamos conscientes do que estamos consumindo, nem as porções ou quantidades.


5 – Come em pratos pequenos


Esta é uma maneira de enganar um pouco o cérebro, fazendo-o pensar que estamos tendo grandes quantidades de comida.


6 – Mastiga chiclete


Este método ajudará para que não comamos se estamos chatas; assim procura uma opção sem açúcar e mastiga até que se esgote o sabor, de seguro, para, então, já não terás mais fome.


7 – Durma mais tempo


O sono desempenha um papel importante na perda de peso, especialmente porque enquanto estamos dormindo, não há possibilidades de comer. Mas dormir um pouco mais, fará com que teu corpo tenha todas as energias que você precisa para se recuperar e enfrentar o dia. Se não dormimos o suficiente, o organismo irá pedir que devemos consumir energias, o que nos dará mais fome.


8 – Dorme cedo


Se nós dormimos tarde, certamente nos vai começar a dar fome, já que estamos cientes de que o jantar já foi há algumas horas. Assim que certamente asaltaremos a geladeira em busca de lanches.



9 – Tenha um parceiro


As noites especiais com o seu parceiro podem te queimar de 100 a 500 calorias extras. Isso não é muito significativa, quando comparada com uma sessão de aeróbica; mas devemos aproveitar todas as oportunidades, não é?


10 – Faça exercício


Este hábito é fundamental, porque, sinceramente, não vamos descer de peso como deveríamos, se não fazemos atividade física. Ao menos é de se manter em movimento durante o dia, vá para o trabalho a pé, suba as escadas ou anda de bicicleta em vez de usar o carro.


Bons hábitos são essenciais para que você tenha sucesso para emagrecer, te recomendo que conheça DETOPHYLL, para ajudar na limpeza e manutenção de seu organismo.


O importante é que considere algumas dessas dicas como hábitos de vida, já que mentalizarse que devem fazer parte de sua personalidade e estilo é a chave para que você possa perder peso sem sofrer.

Causas do colesterol alto na menopausa

Você está na menopausa e você tem o colesterol alto? Não se preocupe! O aumento do colesterol em mulheres após a menopausa é muito frequente. Deve-Se, fundamentalmente, às mudanças hormonais que ocorrem nesta fase. Gostaria de saber mais sobre as suas causas? Pois então, o acompáñame!

Tipos de colesterol

Estrogénios e colesterol


Na menopausa, a diminuição no nível de estrogênio também provoca o aumento do colesterol LDL ou mau e a diminuição do HDL-colesterol ou bom, entre outras modificações. Por tal razão, se você estiver passando por menopausa, sugiro que preste atenção a seus valores de colesterol no sangue.


Por que você deve fazê-lo se o aumento do colesterol é frequente nas mulheres após a menopausa? Pois bem, que seja normal não significa que esteja livre de riscos. De fato, se você quiser prevenir e evitar complicações decorrentes da hipercolesterolemia, tais como doenças cardíacas ou vasculares cerebrais, você deve manter esses níveis sob controle.


Os estrogênios são um fator que protege de doenças cardíacas, tanto para si como para o resto das mulheres em idade reprodutiva. No entanto, a partir da menopausa, a queda no nível de estrogênio produz modificações no perfil lípidico. Estas alterações podem passar despercebidos se o seu médico não indica uma análise de sangue, para verificar que os níveis de colesterol são mantidos sob controle.


Consequências do colesterol alto na menopausa


O resultado de investigações confirmou que as mulheres comvalores elevados de colesterol na menopausa ou após ela, têm um maior risco de sofrer de doenças coronárias. Isso se dá, em especial, se esse aumento afeta particularmente o colesterol LDL ou mau e, mais ainda, se vai acompanhado de um HDL-colesterol ou bom baixo ou de uma diminuição do mesmo.


Por si só, a queda do estrogênio na menopausa ocorre um aumento do colesterol LDL ou mau, e uma diminuição do HDL ou colesterol bom. Este é um dado conhecido que, no entanto, poucas vezes, é controlada, como é devido.


Ao diminuir a quantidade de estrogênio no organismo, aumentam os reservatórios de gordura e muda a sua distribuição no corpo. Estas alterações na gordura corporal determinam que aumenta o colesterol total, em especial, o mau ou LDL e os triglicerídeos, à custa do colesterol bom, ou HDL, que diminui.


Como baixar o colesterol alto na menopausa


Pelo o que foi dito, para que saibas que todas as mulheres após a menopausa como você, deveriam controlar seus níveis de colesterol.


Além disso, é necessário que adote os hábitos saudáveis que te deixo abaixo. De tal modo, você pode prevenir e evitar complicações decorrentes da hipercolesterolemia, tais como doenças cardíacas ou vasculares cerebrais.



  • Segue uma dieta para baixar o colesterol alto. A dieta é fundamental. Se você não controlar seu consumo de gorduras saturadas e aumentar a sua ingestão de fibras, dificilmente, conseguirá o seu objetivo de reduzir o colesterol alto.

  • Faça exercícios físicos. Por outro lado, o exercício é um excelente aliado na hora de reduzir seus níveis de gordura no sangue. Evite uma vida sedentária que só agravará a sua hipercolesterolemia.

  • Se você fuma, deixe de fazê-lo. Você sabia que o consumo de cigarros aumenta o colesterol no sangue? Pois, é assim! Mais um motivo para eliminar este hábito nocivo de sua vida. Agora já não tem mais desculpas!

  • Combate o stress. Por último, deve a todo o custo tentar controlar seu estresse se quiser manter o seu colesterol, uma vez que o aumento do mesmo é um dos efeitos colaterais deste problema tão comum na vida contemporânea.

Causas do colesterol alto em adolescentes

Há alguns anos atrás certas doenças, como a hipercolesterolemia, obesidade, diabetes e a hipertensão arterial são associados a pessoas adultas. Hoje em dia, infelizmente, esta realidade mudou; a cada dia mais adolescentes sofrem destes fatores de risco, em especial o colesterol alto. Por isso, é muito interessante analisar quais são as causas e as consequências que isso ocorra.


Quando uma criança entra na puberdade ocorrem muitas mudanças: hormonais, físicos, comportamentais, etc., Essas mudanças podem causar, direta ou indiretamente, efeitos sobre o organismo causando hipercolesterolemia.


Causas do colesterol alto em adolescentes



  • O advento de junk food, salgadinhos, doces e bugigangas de todo tipo têm mudado radicalmente a alimentação dos adolescentes. O jovem de hoje em dia, decidiu, em muitos casos, o que comer; porque ou está só em sua casa, pois seus pais trabalham, ou porque compartilham socialmente a comida junto a seus amigos, ou porque tratam de cobrir certos vazios emocionais com a comida. Isso pode gerar hipercolesterolemia, independentemente do peso corporal.

  • Por outro lado, as redes sociais mudaram a forma de se relacionar dos adolescentes. Antes passavam suas horas compartilhando com amigos, jogos, esportes e atividades recreativas, nas quais o corpo estava envolvido. Hoje em dia, essa realidade mudou, não é necessário compartilhar qualquer atividade, com apenas um toque em uma tecla podem comunicar-se com muitos amigos de uma só vez, mesmo quando estão longe. Se bem que isso é extremamente interessante, e não teria nada de errado, traz como conseqüência passar longas horas em frente ao notebook, e o pior de tudo comendo. O que pode causar níveis elevados de colesterol no sangue.

  • Por último a incapacitantes e a apatia própria da adolescência complicam um pouco mais esta situação, gerando tédio que, em muitos casos, está associada a uma ingestão excessiva de gorduras e açúcares, o que pode influenciar de forma negativa sobre o colesterol.

Se bem que estas causas são reversíveis, mas não for evitada, pode provocar consequências a longo prazo que, sim, podem ficar fora de controle.


Consequências da hipercolesterolemia na adolescência



  • Tamponamento das artérias em idades prematuras. Enquanto antes as doenças cardiovasculares também participam pessoas de idades avançadas, hoje em dia estas idades foram descendo, e a cada dia que se podem ver mais pessoas jovens com a doença, angina e infartos produtos de ter as artérias tampadas.

  • Hipertensão arterial. Se o sangue tem níveis elevados de colesterol por tempo prolongado, o sangue fica mais espesso e pode provocar coágulos que provocam doenças como Acidente Vascular Cerebral (AVC).

  • Diabetes: Este processo começa com uma intolerância à glicose, que, então, se não é tratada a tempo, se transforma em diabetes tipo 2, por esgotamento da atividade de determinadas células do pâncreas. Isso ocorre pelo excesso de consumo de açúcar que o organismo não metaboliza corretamente, e provoca uma resistência à insulina, junto a uma hipercolesterolemia.

  • Obesidade: O excesso de consumo de alimentos ricos em calorias, gorduras e açúcares pode provocar hipercolesterolemia e obesidade; que, por sua vez, pode complicar a saúde cardiovascular.

As causas podem parecer banais e até sem importância , porque são atividades que realizam a maioria dos adolescentes, mas, quando as conseqüências apresentam-se, a saúde é resquebraja e às vezes se perde.


O que hoje no mundo da adolescência não tem importância, na idade adulta , se a terá. Por isso, é extremamente importante o papel que os adultos têm sobre esta problemática, já que não é errado comer um snack ou refeição rápida, ou estar em frente ao PC, o problema está em colocar limites para que não se torne excessivo.

Chitosán: o que é e para que serve este retém gordura natural

Você sabe o que é e para que serve o chitosán?, é bom?, será que é eficaz?, será que é eficaz?, será que é errado?, será que é perigoso?, o que é prejudicial? de onde vem o chitosán? Descubra neste artigo, o que o chitosán pode fazer por seu coração, diminuindo o seu colesterol.

Chitosán

Que é o chitosán


O chitosán ou quitosana é um polissacarídeo derivado da quitina. Por sua parte, a quitina é um carboidrato que fica nas paredes dos fungos ou cogumelos, no exoesqueleto, casca e casca de alguns frutos do mar, como o camarão, o camarão, os camarões, as lagostas, os caranguejos e lulas e também em muitos insetos.


Para que serve o chitosán


Se, além de ter o colesterol alto, a sua balança acusa excesso de peso e sofre de hipertensão arterial, o chitos


milí pode ser um aliado natural, combatendo esses três fatores de risco para a sua saúde cardiovascular.


É bom para emagrecer


Com efeito, o chitosán foi popularizado comercialmente, no uso de suas cápsulas para emagrecer.No entanto, deve notar-se que tem outras aplicações, não só médicos, mas também industriais. Não obstante, a sua capacidade de pegar as gorduras no aparelho digestivo, antes de serem absorvidas pelo organismo, por isso, a popularidade de que goza atualmente.


É eficaz contra o colesterol alto


Em qualquer caso, o que aqui nos interessa é analisar suas propriedades hipocolesterolemiantes, além de seus benefícios para absorver e pegar as gorduras. Em suma, determinar se o chitosán é eficaz para diminuir o colesterol elevado no sangue. Em princípio, imaginando quanta gordura absorve o chitosán. Segundo se comenta o chitosán seria capaz de absorver de 6 a 10 vezes seu peso em gorduras. Se isso é verdade, sem dúvida, o chitosán é bom para baixar o colesterol, na medida em que limita o ingresso dessa gordura em seu organismo.


É eficaz para baixar a tensão arterial


No entanto, para além desta propriedade atrapagrasa, o chitosán reduziria a tensão arterial, ao que parece, este efeito cardioprotector se deve à sua capacidade para absorver não só na gordura, mas também o sódio. Por outro lado, esta superfibra favoreceria além disso, o trânsito intestinal, pelo que se pode dizer que o chitosán é eficaz para combater a prisão de ventre e depurar o corpo de toxinas que não precisa.


Leia também: Dieta para reduzir o colesterol ruim


De onde se obtém o chitosán


Se bem que a quitina, carboidrato de onde vem o chitosán está amplamente distribuída na natureza, as fontes de chitosán, em princípio, não são de fácil acesso. Não obstante, na tabela abaixo, você pode ver os alimentos mais ricos em chitosán, com a porcentagem de quitina que contêm cada um deles. Precisamente deles é de onde se extrai o chitosán que é comercializado no mercado.

AlimentoPartePorcentaje de quitinaCamaróncaparazón14 a 27 %Cangrejocarapacho13 a 15 %Almejascáscara6%Ostrascáscara4%Calamaresqueleto40%Choanephora cucurbitarumpared celular de cogumelo seca30%Mucor rouxiípared celular de cogumelo seca28%

A quitina também é encontrado em alguns insetos como formigas, baratas e aranhas, caracóis, algas, corais e no plâncton.


Quantos tipos de chitosán existem


Basicamente existem dois tipos de chitosán:



  • De origem animal: o mais comum que se obtém do exoesqueleto dos frutos do mar referidos no número anterior.

  • De origem vegetal: é extraído em contrapartida, as paredes celulares de alguns cogumelos.

  • Fórmulas combinadas: por outro lado, alguns laboratórios comercializam fórmulas combinadas com outros elementos, como vitamina C, cromo, etc.

Como tomar chitosan


No caso que você decida tomar chitosán pode recorrer às suas fontes naturais, se é que estão ao seu alcance ou, na sua ausência, aos seus suplementos em cápsulas ou comprimidos.


Quem pode tomar


Tenha em conta que, embora seja um produto natural de venda livre não deve ser consumido indiscriminadamente. Só pode ser consumido por adultos responsáveis que precisam limitar o seu depósito de gordura ao organismo. Não deve tomar chitosán, crianças, grávidas, mulheres que amamanten e alérgicos aos seus componentes.


Quantos mg tomar por dia


Em geral, os laboratórios recomendam tomar entre 3.000 e 6.000 mg de chitosán ao dia. Não obstante, dado que nem todos os produtos possuem os mesmos componentes, você deve rever as informações do fabricante e ante a menor dúvida, verifique com o seu médico. Ele saberá orientar com maior precisão para o seu caso em particular.


Quando tomar


Dado que este polissacarídeo demora cerca de uma hora até ser dissolvido no estômago, recomenda-se tomar chitosán diariamente, meia hora antes das três principais refeições.


Para que tomar



  • Para tratamento. Se você precisa baixar o seu colesterol, como se, além disso, pretende perder peso e reduzir a sua tensão arterial, deve tomar chitosán regularmente todos os dias, por pelo menos 12 semanas, ou até que consiga controlar estes parâmetros.

  • Para manutenção. Em contrapartida, se você já tiver concluído seu tratamento e só quer recorrer ao chitosán como manutenção preventiva diante de uma farra iminente, você pode consumí-lo de modo ocasional, pelo menos meia hora antes do evento em questão.

Contra-indicações do chitosán


Se bem que o chitosán é um produto natural tem contra-indicações, que deverá ter em conta, antes de decidir o seu consumo.


É ruim para as gorduras boas


Com efeito, o chitosán é ruim, porque não diferença entre gorduras boas e ruins, por isso que, assim como pegar as más, também se leva consigo os valiosos ácidos gordos Omega que ingieras em sua dieta, com os inconvenientes que o seu défice possa causar em sua saúde.


É perigoso na gravidez e amamentação


Tanto a gravidez como a amamentação, são momentos em que não é possível detectar potenciais efeitos adversos. Por outro lado, o chitosán é perigosoporque o bebê em formação necessita de todos os nutrientes necessários para o seu correcto desenvolvimento. Tenha em atenção que as gorduras também são essenciais para vehiculizar muitas vitaminas essenciais para o crescimento do seu pequeno.


É prejudicial se você tem alergia ao marisco


Por último, se você é alérgic@ marisco, o chitosán será de peste, já que estes são sua principal fonte de obtenção. Se bem que o chitosán é prejudicial em caso de alergia ao marisco, existe um tipo de chitosán vegetal, o que se extrai das paredes celulares de determinados cogumelos, que você vai consumir, sem efeitos adversos à causa de sua alergia.


Como incluir chitosán em sua dieta


Se bem os alimentos ricos em chitosán não estão sempre disponíveis, se tem a possibilidade de aceder a eles, nada melhor do que consumir chitosán na forma natural, como parte de deliciosos pratos que não serão muito bons para sua saúde, mas que, além disso, gratificarán o seu paladar. Abaixo você pode encontrar algumas alternativas. Tomara Que você goste!



  • Prepara camarão da diaba. Uma refeição deliciosa e com alto teor de chitosán. Tenha em conta que para incluir este componente valioso que cozinhe os camarões com casca. Se seguir o link acima não só encontrará o passo-a-passo, mas diversas variantes, a qual mais rica.

  • Elabora receitas com cogumelos. Os cogumelos são a fonte vegetal de chitosán mais importante que você pode encontrar. Em nossas páginas, você pode tanto consultar sobre as suas propriedades, como achar inúmeras receitas com cogumelos que se irão maravilhas em sua dieta para baixar o colesterol.

  • Consome caracóis. Se bem que não é uma das fontes mais importantes de chitosán, os caracóis não só contêm este polissacárido, mas que, além disso, são muito baixos de colesterol. Razão de mais para que não te prives desta iguaria, o a preparar-se como o preparar.

Causas do aumento de colesterol no sangue

Um dos pontos mais importantes para prevenir doenças cardiovasculares, é saber quais são as causas do aumento de colesterol, que podem estar influenciando direta ou indiretamente, em seus altos valores no sangue. Neste post você vai encontrar a informação que necessita, para conhecer as causas e prevenir as consequências da hipercolesterolemia.

Tipos de colesterol

Quando você tem em sua mão uma análise de sangue e vê que seus valores de colesterol estão elevados, o primeiro que tiendes a perguntar é por que?.


Certamente existe uma resposta para a sua pergunta, já que existem diferentes causas que podem determinar o aumento de colesterol no sangue. É importante ter presente que não só as pessoas obesas ou com excesso de peso podem sofrer de hipercolesterolemia, as pessoas magras também podem sofrer desta doença. É por isso que eu te mostrarei as diferentes causas de aumento de colesterol no sangue.


Causas da hipercolesterolemia


Para uma melhor compreensão, o dividiré em causas modificáveis e não modificáveis.


Causas Não-Customizáveis



  • Predisposição genética: Geralmente se deve a uma elevação de colesterol por defeito dos receptores do colesterol LDL. Esta predisposição pode ser transmitida por um ou de ambos os pais, embora deva ficar claro que é mais comum a transmissão genética de apenas um deles. Esta situação afeta homens e mulheres por igual. Os homens podem desenvolver doença coronariana entre os 30 e os 50 anos, em troca de mulheres entre os 50 e 60 anos.

Causas Modificáveis:



  • Alimentação: O aumento do consumo de gorduras saturadas e trans, em detrimento do consumo de ácidos graxos insaturados. O aumento de colesterol no sangue se deve em grande medida ao aumento do consumo de gorduras saturadas, o consumo diário superior a 400 mg de colesterol produz um aumento na concentração de colesterol no sangue. É importante saber que uma redução de 100 mg de colesterol por cada 1000 calorias altera em torno de 12 mg/dl. a concentração de colesterol no sangue.


  • Vida sedentária: A falta de exercício físico pode gerar um metabolismo gordo mais lento, ajudando não só ao aumento de colesterol no sangue, mas também do depósito do mesmo em uma das paredes arteriais.


  • Stress: Situações estressantes ou angustiantes, podem levar a consumir mais alimentos ricos em gorduras e podem desencadear uma série de mecanismos no organismo, os quais se comece a depositar o colesterol nas paredes das artérias, reduzindo o calibre das mesmas.


  • Cigarro: O monóxido de carbono do cigarro aumenta o colesterol LDL e reduz o HDL-colesterol, desta forma o charuto agrava ainda mais a situação, se já existe uma hipercolesterolemia prévia.


  • Obesidade: O excesso de quilos, o peso ideal ou habitual, produz um excesso de tecido adiposo, o que aumenta as chances de uma alta concentração de colesterol no sangue.


  • Doenças: Hipotireoidismo, doenças renais, doenças obstrutivas, hipertensão arterial, doenças hepaticas, etc.

Como você pode observar, são mais as causas do aumento de colesterol no sangue, de fonte editável do que aquelas que não podem ser editáveis, ou seja, neste ponto que reside a importância de realizar mudanças de hábitos, tanto alimentares como de conduta, que permitam modificar e prevenir a prevalência de complicações cardiovasculares.

Causas do aumento de colesterol na infância

Não só os adultos são afetados por que o colesterol alto, esta patologia também se apresenta, cada vez com mais freqüência, nos infantes. Neste post vou informar você sobre as possíveis causas do aumento de colesterol na infância e como se desenvolve a hipercolesterolemia em crianças. Desta forma, através da informação é possível prevenir e evitar doenças que possam afetar a saúde integral do futuro adulto.

Tipos de colesterol

Não só os adultos podem ser afectados por níveis de colesterol elevados, as crianças também podem sofrer dessa condição. Entender quais são as possíveis causas e conseqüências de sofrer de hipercolesterolemia é fundamental para realizar uma prevenção primária de doenças cardíacas em crianças e sua prevalência na vida adulta.


Causas do aumento de colesterol na infância


Podem-Se definir duas causas possíveis



  • Ambientais: Dentro das causas ambientais é importante destacar doenças como a obesidade e síndrome metabólica, como consequência de uma alimentação excessiva em gorduras e hidratos de carbono simples, combinada com a falta de exercício físico.

  • Genéticas: As anomalias lipídicas de origem hereditária, constituem um risco elevado de doenças cardiovasculares. É muito importante a detecção deste tipo de doenças de origem genética em forma precoce, para reduzir riscos e complicações.

Estas causas interagem entre si, uma vez que as crianças vivem expostos constantemente a oferta de alimentos muito saborosos, mas ricos em gorduras, carboidratos simples e sódio, além de promover constantemente a vida sedentária , a partir de elementos tecnológicos como computadores pessoais e diversas consolas de jogos.


De acordo com o National Cholesterol Education Program, os valores de colesterol normalpara crianças entre os 2 e os 18 anos são:



  • Colesterol inferior a 170 mg/dl.

  • Se os valores se encontram entre 170 – 199 mg/dl, deve-se repetir a análise e a avaliação das diferentes lipoproteínas.

  • Se os valores são superiores a 200 mg/dl, deve ser implementada uma investigação para determinar as causas e poder oferecer a essa criança o tratamento adequado de acordo com a origem da hipercolesterolemia.

Enquanto em décadas anteriores, as crianças costumavam correr, brincar ao ar livre, andar de bicicleta; hoje em dia passam horas em frente ao computador. Isso traz impliquem mudanças de hábitos em relação à atividade física e à alimentação.


No caso da prevenção de hipercolesterolemiaem crianças por razões ambientais, não é necessário proibir aqueles alimentos que tanto gostam as crianças, nem as atividades que tenham a ver com as consolas de jogos e o computador, se trata apenas de encontrar um equilíbrio, o que gera uma melhor qualidade de vida , tanto presente como futura.


Consequências de hipercolesterolemia em crianças



  • Diabetes.

  • Hipotireoidismo.

  • Dislipidemias.

  • Doenças cardiovasculares.

  • Aterosclerose.

  • Morte súbita, entre outras.

Para evitar estas ou outras consequências, é importante começar desde a infância a construir a sua qualidade de vida, para quando chegar à fase adulta. Por isso, não hesite em consultar o médico diante de qualquer dúvida.

Colesterol, diabetes e doenças do coração

As doenças cardiovasculares são resultado da aparição de diferentes fatores de risco, como, por exemplo, colesterol alto e diabetes. A conjunção destas duas doenças, especialmente se não são manipulados corretamente, podem ser o início de aparecimento de diferentes doenças do coração.

Uma doença como a diabetes pode transformar o coração em um organismo vulnerável a doenças. As conseqüências nocivas que esta síndrome podem-se ver refletidas no dano dos vasos sanguíneos que alimentam a órgãos importantes como o coração e o cérebro; provocando diversas doenças como, por exemplo, angina, AVC, isquemia ou infarto do miocárdio.

Além disso, o colesterol alto, especialmente o colesterol LDL ou mau e o colesterol total pode provocar placas de ateroma nas paredes internas das artérias, reduzindo a chegada de sangue para vários órgãos, como, por exemplo, o coração.

É importante esclarecer que não só o coração ou o cérebro se vêem afetos, mas também os diferentes vasos sanguíneos do corpo, como as artérias e veias dos membros superiores e inferiores, assim como também os vasos mais pequenos a vista e os diferentes órgãos; causando diversas complicações que podem ser muito graves.

Para evitar que isso aconteça é importante manter a calma, tanto a glicose como o colesterol no sangue e impedir que se situem. Para isso existem uma série de dicas que você pode colocar em prática, e proteger o organismo de doenças nos vasos sanguíneos e no coração.

Uma das formas de prevenir que as doenças cardiovasculares se produzam como conseqüência de diabetes e colesterol alto é através da implementação de algumas medidas preventivas , como por exemplo:

  • Leva a cabo uma alimentação saudável, baixa em gorduras saturadas, colesterol, gordura trans e açúcares de rápida absorção.
  • Respeita o consumo dos medicamentos que o médico lhe indicou.
  • Se tiver excesso de peso, é importante emagrecer de forma saudável.
  • Faça atividade física diariamente.
  • Deixe de fumar.
  • Controla o consumo de bebidas alcoólicas.

É importante que, além de controlar o colesterol e a diabetes, vigie a sua pressão arterial , já que se esta se encontrar fora dos intervalos normais (130/80 mmHg); pode aumentar ainda mais a probabilidade de sofrer de doenças cardiovasculares.

A saúde do seu ombro cn depende de vários fatores, mas se mantiver o seu colesterol e seu diabetes sob controle, o risco de ocorrência de doenças cardiovasculares é reduzido significativamente. Por isso, cuide de sua colesterol alto e a sua diabetes e assim cuidar de seu coração.

Para diminuir os níveis de colesterol recomendo que experimento LineShake,você já conhece? Com LineShake você vai ter uma refeição emagrecedora e vai perder muita gordura em muito menos tempo.

Causas de morte súbita no esporte: como prevenir e evitar

Você sabe o que é morte súbita? Eu vou Te dizer quais são as causas de morte súbita no esporte e como prevenir e evitar este desenlace fatal durante a prática de exercício.

Morte súbita

Sem dúvida, o esporte e a prática de exercícios são muito benéficos para a sua saúde, no entanto, às vezes, uma atividade física em demasia ou inadequada podem dirigi-lo à morte. Descubra como e por que ocorre a morte súbita no esporte.


O que é a morte súbita


A morte súbita não é nem mais nem menos, que a cessação da respiração e dos batimentos cardíacos. Se bem que a origem da mesma pode ser muito diferente, na maioria dos casos, é cardíaco. Daí que, muitas vezes, se fale independentemente de morte súbita cardíaca.


Em qualquer caso, com lamentável freqüência, a morte súbita é motivo de manchetes de notícias. Não é para menos, já que quando afeta atletas de alto rendimento em plena competição, surge a dúvida se levanta a polêmica: será que o esporte é ruim para o coração?


O certo é que nem uma coisa, nem outra. Se bem que o exercício de esforço é bom para a saúde e em especial para o funcionamento cardíaco, deve ser realizado sob controle. Daí que para praticar este tipo de actividades seja um pré-requisito, os exames médicos prévios que se habilitem para a sua realização.


Causas de morte súbita


Como te falei anteriormente, são muitas as causas que podem provocar uma morte súbita, desde a asfixia por imersão, passando por efeitos secundários de determinados medicamentos ou até mesmo de uma anestesia, até a electrocussão.


Não obstante, quando se fala de morte súbita no esporte, muitas vezes, há que pensar que as causas estão no coração, seja por uma sobreexigencia cardíaca, como por lesões coronárias não diagnosticadas. Em ambos os casos, é evidente que a melhor forma de prevenir é através da realização prévia de exames de controle, que avaliam seu estado cardiovascular e se habilitam para as exigências da competição.


Morte súbita no esporte


Em suma, a morte súbita no esporte é a que ocorre durante a prática esportiva ou em repouso, no curso da hora posterior à mesma.


No entanto, este acontecimento que pode ser visto como uma fatalidade ou um acidente, não é casual. Que um atleta aparentemente “dê saúde”, não garante a ausência de problemas cardíacos congênitos ou adquiridos, não diagnosticados e que não tivessem sido revelado em condições normais.


A exigência desportiva por outro lado, submete o organismo a agressões psicofísicas, que na forma de estresse, podem desencadear um episódio deste tipo. Sem contar que a mesma prática esportiva pode causar uma cardiomiopatia hipertrófica em atletas. Cabe destacar que, em qualquer caso, estes quadros são previsíveis e evitáveis.


Causas de morte súbita cardíaca em atletas


Tendo em conta que, geralmente, a morte súbita no esporte ocorre por causa cardíaca não diagnosticada ou sem sintomas prévios, eu vou te dizer quais são as principais doenças que podem ocasionarla.



  • Aterosclerose coronariana. Sem dúvida, uma das doenças que podem provocar com maior freqüência morte súbita de origem cardíaca, é a aterosclerose coronariana que vai obstruindo os pequenos vasos que irriga o músculo cardíaco, até que produzem a morte do tecido, com o consequente deterioração da função.

  • Arritmias cardíacas. Com menor freqüência, as arritmias cardíacas, também podem provocar a morte súbita em atletas. As exigências da competição são um fator determinante no aparecimento de miocardiopatias que, provavelmente, não se tivessem posto de manifesto diante de circunstâncias normais.

  • Outras doenças cardíacas. Em qualquer caso, qualquer que seja a doença subjacente, mesmo diante da possibilidade de que existam cardiopatias congênitas não diagnosticadas, a atividade física deve ser sempre controlada e adaptada a cada pessoa em particular. Isto é fundamental no caso de esportes, tanto mais quando se trata de esportes de alto rendimento.

Causas de dislipidemia

Quando lemos ou ouvimos o termo dislipidemia, pode surgir a dúvida de que é uma dislipidemia ou dislipemia; é o mesmo que hipercolesterolemia ou hipertrigliceridemia? Para compreender e tirar esta terminologia para se referir às doenças relacionadas com o metabolismo de lipídios, é necessário conhecer quais são as causas de dislipidemia e quais são os diferentes tipos de dislipidemias que elas determinam.

Vesículas de lipídios

Dislipemia: o que é


Se conhece com o nome de dislipidemia ou dislipemia à alteração dos lipídios sanguíneos, como por exemplo, o colesterol e suas diferentes frações (LDL e HDL) e triglicérides.


Dislipidemia, causas


Dentro do conceito de dislipidemia existem diferentes variantes e cada uma possui diversas causas que podem originarlas.


Da hipercolesterolemia


Ocorre quando o colesterol ruim ou LDL-colesterol acima de 200 mg/dl.



  • Causas Primárias:Hipercolesterolemia familiar, hipercolesterolemia poligénica, hiperlipemia familiar combinada.

  • Causas secundárias: Diabetes tipo 1, Síndrome X, uso de diuréticos, corticosteróides, anabolizantes, diclosporinas; hipotireoidismo, anorexia nervosa, alto consumo de gorduras saturadas.

A hipertrigliceridemia


Ocorre quando a concentração plasmática de triglicerídeosestá acima de 150 mg/dl



  • Causas primárias: Hiperlipidemia familiar combinada, hipertrigliceridemia familiar, deficiência familiar de lipase lipoproteica Ou de apo CII.

  • Causas secundárias: Diabetes, cetoacidose diabética, insuficiência renal, gravidez, bulimia, síndrome de imunodeficiência adquirida (AIDS), alcoolismo, medicamentos, tais como: beta-bloqueadores, anabolizantes esteróides, estrógenos, alto consumo de alimentos ricos em açúcares simples.

De hiperlipidemias mistas


Esta ocorre quando a concentração de colesterol e triglicéridos no sangue está acima dos valores normais.



  • Causas primárias:Hiperlipidemia familiar combinada, disbetalipoproteinemia.

  • Causas secundárias: Diabetes, obesidade, gravidez, síndrome X, medicamentos como os corticosteróides, esteróides anabolizantes, beta-bloqueadores; insuficiência renal, a diálise peritoneal, o consumo de alimentos ricos em açúcares simples e gorduras saturadas.

A hipoalfalipoproteinemia


Ocorre quando os níveis de colesterol bom, ou HDL no sangue está abaixo dos níveis normais (45 mg/dl em mulheres e 35 mg/dl em homens).



  • Causas primárias:Hipertrigliceridemia primária, deficiência de apo A1, deficiência de LCAR, doença de Tangier.

  • Causas secundárias:Tabagismo, obesidade, gravidez, exercício anaeróbico, medicamentos como andrógenos, progesterona, probucol, glicocorticóides, diuréticos; estresse agudo, infecções, desnutrição, hepatopatías.

Esta classificação é importante para compreender de que falamos quando dizemos dislipidemia e também saber quais são suas possíveis causas, desta forma podemos prevenir o aparecimento de complicações , tais como doenças cardíacas, acidentes cérebro-vasculares, etc.


Lembre-se que a prevenção é a melhor arma para se obter uma melhor qualidade de vida.


Causas de dislipidemias, mais informações


Abaixo, você pode encontrar mais informações sobre as causas que podem provocar dislipidemias.



  • Ingestão em demasia de doces. É uma das causas mais frequentes de dislipidemias secundárias em crianças. Cuide dos seus pequenos limitando o seu consumo de bugigangas.

  • Redução de estrogênio. Outra das causas que pode provocar dislipidemias é a baixa de estrogênio, tal como ocorre após a menopausa. Você sabia?

  • Consumo de contraceptivos. Por outro lado, o consumo de pílulas anticoncepcionais também pode ser fonte de dislipidemias. De lá, é muito importante que se realize controles de rotina, se há muito tempo que as consome.